segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Pergunta (comprida como o caraças) mas, desta vez com resposta!!!

Porque é que o chamado comércio tradicional diz que está pelas ruas da amargura e não percebe porque é que as pessoas preferem as grandes superfícies?

Se calhar é por atitudes como a que vos vou contar... Há umas semanas atrás, bem antes da época dos saldos (ou seja em plena altura de compras de Natal), resolvi que estava a precisar de umas luvas. Só gosto e só consigo usar luvas de pele e, por isso achei que o melhor sítio para as comprar seria a Luvaria Ulisses na Rua do Carmo - que por acaso é só uma das mais tradicionais e mais antigas lojas de Lisboa. Tive a sorte de não demorar muito no trajecto estaminé/Baixa e, às 18h54m estava a ver a montra da loja, já com o modelo que pensava comprar debaixo de olho - quem conhece a loja sabe que é um espaço mínimo, de vão de escada, em que a montra fica praticamente dentro da própria loja.
E o que foi que aconteceu precisamente às 18h54m??? O empregado/dono da loja, com o ar mais natural do mundo fecha-me a porta da loja na cara. O que aconteceu em seguida???
Muito simples... Virei costas, jurei nunca mais ali voltar e uns poucos metros acima entro na H&M e compro umas luvas que me custaram exactamente 4 vezes menos do que as que tinha estado a namorar na montra da loja!!!

7 comentários:

Anónimo disse...

Quem tem casa comercial aberta tem de ser sempre simpático, porque senão perde-se não 1, mas um batalhão de clientes, porque as relações funcionam em rede, do mesmo modo o sucesso é rápido porque se espalha rapidamente...O vendedor não gostava de dinheiro e tu i-as lá levar dinheiro :) bjs cc

Ana Omelete disse...

Já me fizeram umas quantas dessas... se o comércio tradicional reclama tanto é porque nada fazem para contrariar a corrente dos shoppings.. peçam uma licença para abertura prolongada, não fechem à hora do almoço, sejam mais simpáticos e acessíveis..

Beijinhos e boa semana! ***

escarlate.due disse...

é por essa e por outras semelhantes a essa
sabes qual é realmente o problema?
é que em vez de se pensar "se tu consegues eu também consigo! vamos lá tentar..."
pensa-se "eu não faço e também não pretendo deixar ninguém fazer"
enquanto este raciocinio não se alterar, bem podem reclamar de ministros, governos e outras tretas, que Portugal não avança

Rice Man disse...

Sei que isto não te serve de consolação, que o senhor merecia um castigo maior e que o que vou dizer a seguir é muito parecido com uma cena do filme "Melhor é Impossível" mas vou dizê-lo à mesma porque é verdade...

O mais trágico no meio disto tudo é que o empregado/dono da loja continuou a sua vida sem nunca vir a saber que tinha acabado de bater com a porta da loja na cara de uma das pessoas mais interessantes do seu/meu tempo. Tenho pena do senhor, a sério que tenho.

lélé disse...

Pois... aparentemente, essa podia ser uma das razões por que o comércio tradicional anda a perder terreno, mas penso que é mais provável que essa atitude seja antes uma consequência...
No entanto, embora não conheça essa luvaria, pelo que dizes, parece-me que essa loja não é das que precisa de clientes... Se calhar, até está aberta para, sei lá, lavagem de dinheiro? Benefícios fiscais?... Sabe-se lá!... No meio das crises há sempre uns ratos que saem beneficiados!...

Atlantys disse...

Basicamente o que me chocou foi a atitude do senhor... Ele até pode ter tido um dia mau mas, uUm simples "com licença que vou fechar" já não me fazia pensar assim... Enfim... Ele perdeu e eu poupei dinheiro e muito LOL

cumixoso disse...

Opa, o homem ja tinha feito a caixa e tu ias baralhar as contas. Não sejas assim! Vais lá e dás-lhe com a luva e prontos